Follow by Email

sexta-feira, 16 de junho de 2017

3 Poemas de Junho

Olhai os Livros do Campo

Olhai os livros do campo.
Não foram escritos por homens
Nem são de papéis feitos
Mas carregam sábias páginas abertas.
Olhai os livros do campo.
Atentai e apreciai essa obra
Dividida em quatro belos Tomos
E aprendereis de fato
O que para vós será primordial
Para outras aprendizagens...
É vero, é veríssimo!
Olhai os livros do campo
E liberto sereis, como os lírios do campo!

Jun. 2017

  
Às vezes penso

As vezes penso
Que as estrelas lá em cima
São vaga-lumes
E os vaga-lumes aqui em baixo
São estrelas.
Ora! Deixai eu pensar assim
Pelo menos terei o privilégio
De ter estrelas ao alcance
Das minhas mãos.

Jun. 2017


Apenas um poeta

Sou um poeta que transita
Pelas bordas de cadernos usados.
O meu lugar e o meu tempo
É onde o meu pensamento estiver.
A sombra de uma árvore
Pode ser a minha janela
Ou a beira de um riacho
Pode ser um banco de jardim...
Assim sou imprevisível.
Tudo isso me apraz..
Ah! também adoro rodar o baleiro
Que ainda há num armazém por aqui
Como se fosse uma roleta doce,
Mas, previsível.

Jun.2017







Nenhum comentário:

Postar um comentário