Follow by Email

sábado, 15 de setembro de 2012

No Umbral




No umbral
Um homem contrito
Pervagava pela quase escuridão.
Procurava a Jesus.
Perseguido por espectros demoníacos
Viu num outeiro, uma luz frouxa.
Investiu contra ela
E atravessou mármores e granitos
Como se eles fossem feitos de fumaça.
Deu numa cripta.
Flutuou sobre jazigos riquíssimos, muitos
Quando deu de frente com Jesus.
Porém, este  nada pode fazer para ajudá-lo.
Ainda estava preso numa cruz, de pedra
E sangrava muito.


José Alberto Lopes®
Set. 15/2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário