Follow by Email

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Poema de Alberto Lobo de Campos

Poema II

A rã da bromélia
nasce e vive ali.
Nenhuma lagoa,
que por mais bela e grande seja,
atrai  a rã da bromélia!

Minha aldeia é pequena,
três ou quatro ruas...
Aqui nasci e vivo,
e vivo a escrever coisas sobre ela!

Minha aldeia em sendo pequena é grande!
grande por que me basta
assim como a bromélia
basta à rãzinha!
Minha aldeia, é minha bromélia!


Alberto Lobo de Campos®




Nenhum comentário:

Postar um comentário