Follow by Email

sexta-feira, 17 de maio de 2013

CONFISSÕES DE MARAPRAIA

 
Como um louco oceano
Ele invadiu o meu delta
Em algazarras selvagens
Como se um bando Celta.

Depois rasgou os meus diques
E desgrenhou o meu leito,
Quedou-se entre os meus seios
A ouvir célere peito.

Como um louco oceano,
Banhou-me em vagalhões,
Também sentiu o meu sal
Esquecido em meus porões.

E adentrou a minha casa
E bem disse a arquitetura.
Fez-me de dona e escrava
E completou a sua usura!

Por fim exausto deitou-se
Sobre a minha amurada.
Beijou-me e adormecemos,
Como velas arriadas!

E na vazante primeira,
Lá nos baixios das rocas,
Deixou-me furtivamente
Já no amanhecer das docas.···.

José Alberto Lopes.
2007

Nenhum comentário:

Postar um comentário